Rússia e China usam poder do veto e Síria não vai ao Tribunal Penal Internacional
Quinta-feira, 22 de maio de 2014

Rússia e China usam poder do veto e Síria não vai ao Tribunal Penal Internacional

Russia e China vetaram a resolução do Conselho de Segurança da ONU requerendo que o Tribunal Penal Internacional investigue crimes de guerra na Síria. Os países foram os únicos a votar contra a resolução, a qual buscava tanto a investigação, quanto à ação política de isolamento da Rússia, conforme apontou analistas do jornal britânico The Guardian.

A ação não foi surpresa. No conflito na Síria, Rússia e China, ambos do conselho permanente, repetidamente usaram seus poderes de veto para bloquear resoluções que atinjam o governo sírio. O poder de veto somente é restrito aos cinco membros permanentes do conselho – EUA, França, Rússia, China e Reino Unido.

“Por causa dessa decisão da Federação Russa de proteger o governo sírio a qualquer custo, o povo sírio não verá justiça hoje. Verá crime, mas não verá punição” – Lamentou Samantha Power, embaixadora dos EUA nas Nações Unidas.

O embaixador da França, Gérard Araud, também se posicionou pelo investigação de crimes no governo do Oriente Médio: “O que aconteceu na Síria está além de simples luta. Há tortura em escala industrial, bombas, mísseis e armas químicas. Existem regras e nós temos valores comuns e devemos permanecer com eles”.

Em entrevista ao Justificando, a Professora de Direito Internacional da USP, Maristela Basso, disse que “esta é mais uma demonstração da fragilidade do Direito Internacional que tem na força de uns poucos países a negação do direito de existência de tantos outros”.

imagem freedom house

Quinta-feira, 22 de maio de 2014
Anuncie

Apoiadores
Seja um apoiador

Aproximadamente 1.5 milhões de visualizações mensais e mais de 175 mil curtidas no Facebook.

CONTATO

Justificando Conteúdo Cultural LTDA-EPP

[email protected]

Send this to a friend