Entenda porque algumas pessoas cabeceiam cachorros
Quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Entenda porque algumas pessoas cabeceiam cachorros

Essa semana um vídeo rodou a internet chocando gregos e troianos, nele um rapaz aparece mau tratando um cachorro e o agredindo com cabeçadas. Rafael Hermida é empresário e foi flagrado por uma câmera instalada por sua ex-noiva, a dona do cão, um buldogue francês. O motivo da espionagem foi justamente porque seu cachorro passou a se comportar de forma diferente desde que Rafael se mudou para a casa.O vídeo já foi compartilhado por milhares de pessoas, páginas em redes sociais foram criadas para denunciá-lo e até uma manifestação em repúdio ao ato foi marcada para a próxima sexta-feira (13).

Nesta terça feira (10), Rafael fez um post no facebook se desculpando pelo ocorrido, alegando que possui sete cachorros em casa, dentre eles um vira-lata que achou na rua. Aparentemente a demonstração pública de arrependimento passou longe de ser o suficiente, hoje a Comissão de Defesa dos Animais/OAB-RJ anunciou que pedirá ao Ministério Público que denuncie o empresário não só por maus tratos, mas também por dano moral coletivo. Segundo o presidente da Comissão, Reynaldo Velloso,  “a sociedade é o sujeito passivo deste crime e o animal está inserido no ambiente. Houve uma agressão a sociedade, ao direito coletivo que tem que ser ressarcido. O ressarcimento disso é em dinheiro. Pode até se pensar em criar um fundo ambiental, para ajudar a proteção no Rio de Janeiro, com programa de castração, com programa de vacinação, porque nós estamos muito atrasados em relação a políticas públicas no Brasil para animais”. Atualmente a Lei 9.605 de 1998 prevê pena de detenção de três meses a um ano, e multa para quem praticar ato de abuso, maus tratos ou ferir animal doméstico. 

Somatofobia

Nossa colunista em Direito Ambiental e dos Animais, Dr. phil. Sônia T. Felipe, é doutora em Teoria Política e Filosofia Moral pela Universidade de Konstanz, Alemanha, ela estudou e escreveu diversos artigos sobre “somatofobia”, uma patologia moral de fundo estruturante, que leva o sujeito insatisfeito a concluir que qualquer ser vivo à sua volta que não atenda a seus impulsos ególatras merece ser punido fisicamente, chegando essa punição até mesmo ao assassinato. Essa patologia responde pela violência doméstica, a violência que o agente desencadeia sobre os corpos de quem vive em sua intimidade familiar, não fazendo distinção entre os corpos da mulher, das crianças e dos animais detidos no lar para companhia, guarda ou estima. 

Sônia esclarece que nos Estados Unidos o abuso contra animais é visto como um indício de patologia grave. O governo chega até a incluir o abusador na lista de psicopatas que precisam ser monitorados. Esse tipo de abusador é um somatofóbico, ou seja, alguém capaz de abusar de qualquer animal assim que seus desejos e impulsos forem contrariados por alguém. A forma de expressão da frustração e do próprio fracasso, nos indivíduos somatofóbicos, é a agressão contra aquilo que eles julgam dever ser punido por contrariar sua vontade: o corpo de alguém indefeso ao seu ataque, de alguém próximo, acessível. Esse corpo quase sempre é o da mulher, da criança, do cão ou do gato, detidos no domicílio do somatofóbico.

Nesse sentido, dois fenômenos aparentemente não vinculados entre si são interrelacionados e conectados, tornando-se acessível à investigação e possível de intervenção social, pedagógica e política: o problema moral da violência contra mulheres e crianças, e o da violência contra os animais; um vínculo que, não fosse a crítica das filósofas, permaneceria invisível à filosofia e à ciência, explica Sônia.

 
Referências:
Artigo “Somatofobia: Violência Contra Animais Humanos e Não Humanos; As Vozes Dissidentes Na Ética Antiga”
Violência Contra os Animais Domésticos: Somatofobia
 

 

 

 

 

 

 

Quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015
Anuncie

Apoiadores
Seja um apoiador

Aproximadamente 1.5 milhões de visualizações mensais e mais de 175 mil curtidas no Facebook.

CONTATO

Justificando Conteúdo Cultural LTDA-EPP

[email protected]

Send this to a friend