Viena: história, inovação e sustentabilidade numa só cidade
Quinta-feira, 2 de abril de 2015

Viena: história, inovação e sustentabilidade numa só cidade

Por Juliana Cassano Cibim

//Colunistas Just

De Viena, 01.04.2015

Viena [1] é uma cidade surpreendente. Localizada às margens do rio Danúbio e de seus canais, transpira história, arte e cultura. Inspira novos tempos. Palácios imperiais, museus, cafés, parques urbanos, igrejas, ruas de paralelepípedo, pessoas simpáticas e amáveis. Por Viena nasceram, viveram e/ou morreram pessoas ilustres como Klint, Freud, Mozart, Strauss, Schubert, a família Hopfburg, Maria Tereza Hopfburg [2], e porque não se lembrar dela, Sissi, a bela imperatriz.

Nas guerras Napoleônica, primeira e segunda guerra mundiais, a Áustria teve seu papel. Viena foi palco do discurso de Adolf Hitler quando a Áustria foi anexada à Alemanha, em 1938 [3]. Em 1955, a Áustria tornou-se novamente um país livre por meio do Tratado do Estado Austríaco.

Viena é uma cidade inovadora.

O prefeito Dr. Michael Häupl propôs em 2011 a iniciativa para que Viena se tornasse uma cidade inteligente (smart city), mas a aprovação só em 25 de junho de 2014, quando começou a ser implementada.

Para isso, foi desenvolvido um planejamento de ações, planos e programas que constituem o documento chamado “The Smart City Wien Framework Strategy”. Essa iniciativa de longo prazo visa melhorar o desenho, o desenvolvimento e a percepção da cidade. Tem como objetivo principal integrar as atividades de trabalho e lazer vislumbrando que os cidadãos tenham uma vida equilibrada. Para isso, foram propostas ações para melhoria da infraestrutura, energia e mobilidade urbanas.

O pano de fundo para essas ações foram as Diretrizes da Comunidade Europeia para Energia e Mudança Climática, cujas metas são para 2030 reduzir as emissões de CO2 em 40% em relação aos níveis de 1990 e, ao mesmo tempo, aumentar em 27% as fontes de energias renováveis, e

Para 2050 reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 80 a 95% em comparação a 1990.

O poder público agiu e a cidade de mais de 1,8 milhão de habitantes já experimenta os resultados dessa estratégia.

A rede U-Bahn integra o transporte público da cidade desde 1978, as muralhas medievais, construídas em 1548, demarcam, hoje, o espaço do centro da cidade e o que os vienenses chamam de Ringstraße (ou Ring) [4] por onde circulam os diversos modais de transporte que estão integrados.

Os trens urbanos, metros, ônibus, carros e bicicletas convivem em perfeita harmonia com os pedestres. Horários de trem, ônibus e metro são informados, assim como as alterações de rota ou percurso, ou a ocorrência de alguma obra que causa mudança de trajeto, em especial de trens e carros.

As pessoas tem acesso à internet gratuita nos locais públicos, como na Stephansplatz, o coração de Viena. Os prédios públicos têm iluminação natural e sistema inteligente para redução de consumo de energia. Lixeiras estão espalhadas por toda cidade e em muitas esquinas há as específicas para resíduos de metal, plástico, papel e orgânicos. A população prioriza alimentação de qualidade e, claro, usam seu tempo em longas conversas pelos cafés, ou não seria a cidade de Freud.

Na cidade inteligente, as pessoas tem tempo para conviver umas com as outras.Viena flui, assim como seu rio, o Danúbio, e dança ao som de Mozart.

O que podemos aprender com Viena?

  1. O poder público agiu de forma objetiva e ousada propondo uma estratégia de transforma-la numa cidade inteligente (smart city). Foram necessários três anos de negociação para que “The Smart City Wien Framework Strategy” fosse aprovada. Persistência. Ação.
  2. A Comunidade Europeia propôs para seus membros metas ousadas, não é uma escolha dar ou não conta de atingir as metas é uma obrigação.
  3. Uma cidade inteligente é também uma cidade funcional, onde as pessoas usam o tempo a seu favor, são produtivas e felizes.
  4. Temos os documentos legais que nos obrigam a dar esse salto, seja pelos tratados e convenções  internacionais das quais o Brasil é parte, seja pela legislação nacional que trata dos temas. A Política Nacional de Mobilidade Urbana, a Política Nacional de Mudança do Clima e a porque não mencionar a Política Nacional de Meio Ambiente a Constituição Federal de 1988. Por que isso não acontece?

Fica a pergunta:

Viena está no caminho para se tornar uma Smart City, o que falta para termos Smart Cities no Brasil?

Sigmund Freud responde:

No principio era a ação. Nunca se pode dizer até onde esse caminho nos levará; cede-se primeiro em palavras e depois, pouco a pouco, em substância também.

Reflexão: Parece que a ação é o melhor caminho…

2015-04-02 11.34.55 am

Ringstraße: antes e depois [5]

Juliana Cassano Cibim é Doutora e Mestre em Ciência Ambiental pelo PROCAM/IEE/USP. Formada em direito pela UNIMEP/Piracicaba. Professora de direito internacional público e ética e direitos humanos na Faculdade de Direito e de soluções de controvérsia e direito no curso de Relações Internacionais da Faculdade de Economia, ambas da Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP). Coordenadora de Programas, Projetos e Parcerias do Instituto Democracia e Sustentabilidade (IDS).


Referências:
Mobilidade urbana é desenvolvimento humano! Instituto Polis e Ministério das Cidades, novembro de 2005. Disponível em: http://www.polis.org.br/uploads/922/922.pdf, acesso. em 01 abr.2015.
Política Nacional de Mobilidade Urbana. Lei federal nº 12.587/2012. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12587.htm, acesso em 01 abr.2015.
Smart City Wien – Ready for the future! Disponível em: https://smartcity.wien.gv.at/site/en, acesso em 01 abr.2015.
Smart City Wien Framework Strategy. Disponível em: https://smartcity.wien.gv.at/site/en/initiative/rahmenstrategie/, acesso em 01 abr.2015.
 
[1]  http://pt.wikipedia.org/wiki/Viena
[2] http://www.hofburg-wien.at/
[3] Para conhecer mais: http://pt.wikipedia.org/wiki/Hist%C3%B3ria_de_Viena
[4] “A Ringstraße é uma estrada circular circundando o distrito de Innere Stadt em Viena, Áustria e é um dos seus principais cartões-postais. É um expoente típico do estilo histórico denominado Ringstraßenstil, das décadas de 1860 e 1890” (transcrito de http://pt.wikipedia.org/wiki/Ringstra%C3%9Fe)
[5] Imagem
 

 

Quinta-feira, 2 de abril de 2015
Anuncie

Apoiadores
Seja um apoiador

Aproximadamente 1.5 milhões de visualizações mensais e mais de 175 mil curtidas no Facebook.

CONTATO

Justificando Conteúdo Cultural LTDA-EPP

[email protected]

Send this to a friend