Casa Branca vai pedir a Congresso que permita envio de detentos de Guantánamo para EUA
Terça-feira, 28 de julho de 2015

Casa Branca vai pedir a Congresso que permita envio de detentos de Guantánamo para EUA

A Casa Branca enviará ao Congresso uma proposta que prevê que os 116 detentos encarcerados em Guantánamo sejam transferidos para os EUA, informou Lisa Monaco, assessora de Segurança Nacional do presidente Barack Obama.

O projeto, anunciado no domingo (27/07), e divulgado pela agência Reuters, vem em meio aos esforços da administração Obama pelo fechamento da prisão militar norte-americana em Cuba e foi uma das principais bandeiras eleitorais do mandatário durante sua primeira campanha à presidência.

Matéria originalmente postada em Opera Mundi 

Segundo Monaco, Washington vai intensificar as transferências de 52 detidos liberados para recolocação em outros países. A ideia é que os demais presos sejam levados para prisões militares ou de segurança máxima dentro dos EUA para julgamento.

Muitos dos detidos em Guantánamo estão encarcerados há anos sem acusação formal e sofrem maus tratos e torturas. Para diversos grupos de direitos humanos internacionais e governos progressistas, as condições precárias da base militar controlada pelos EUA na ilha liderada por Raúl Castro é uma vergonha internacional.

Apesar disso, espera-se uma forte resistência dos republicanos no Congresso. A atual legislação em vigor no país proíbe a transferência de presos de Guantánamo para instalações norte-americanas. No ano passado, o Uruguai recebeu seis prisioneiros na condição de “refugiados”.

No domingo (26/07), Havana exigiu mais uma vez a devolução de Guantánamo, bem como o fim do embargo econômico contra a ilha, durante as comemorações do Dia da Rebeldia. No ato — que marcou os 62 anos do início da revolução com ações da guerrilha liderada por Fidel Castro no Quartel Moncada — o governo cubano reforçou que essas demandas são fundamentais para a retomada integral das relações bilaterais com os norte-americanos.

EUA retiram Havana de lista de tráfico de pessoas

O Departamento de Estado norte-americano retirou nesta segunda-feira (27/07) Cuba de sua lista de países que não tomam ações suficientes para combater o tráfico de pessoas, reportou aAgência Efe.

Com a atualização do relatório anual do órgão, Havana não sofrerá mais com a imposição de sanções, como o congelamento da ajuda não humanitária e não comercial, que era submetida ao menos desde 2003.

Apesar da decisão, Washington manteve nessa lista países como Venezuela, Rússia, Irã, Síria e Coreia do Norte. A partir de agora, Cuba aparecerá na categoria "observação especial", em que também constam nações como Bolívia, Costa Rica, Haiti, Jamaica e China.

Terça-feira, 28 de julho de 2015
Anuncie

Apoiadores
Seja um apoiador

Aproximadamente 1.5 milhões de visualizações mensais e mais de 175 mil curtidas no Facebook.

CONTATO

Justificando Conteúdo Cultural LTDA-EPP

[email protected]

Send this to a friend