Ordem é repressão, progresso é para poucos
Quarta-feira, 18 de maio de 2016

Ordem é repressão, progresso é para poucos

 

Foto: Marcos Corrêa/ Vice Presidência da República

Ordem e progresso.

Desordem e retrocesso.

***

Desordem na democracia.

Progresso para o capital e o acúmulo da riqueza.

Desordem nos direitos trabalhistas.

Retrocesso nas questões sociais.

Ordem: não pense, trabalhe!

Progresso para o fascismo.

Ordem para o terrorismo de estado.

Progresso para homens brancos, ricos e velhos.

Ordem para as mulheres belas, recatadas e do lar.

Retrocesso para as minorias.

Desordem na educação, meio-ambiente, ciência e tecnologia.

Retrocesso cultural.

Ordem para o decisionismo.

Retrocesso no acesso universal à saúde.

Ordem para o entreguismo.

Retrocesso na Previdência Social.

Ordem para a censura.

Retrocesso no combate à corrupção.

Desordem de ideais.

Retrocesso nos direitos humanos. 

Desordem de constitucionalidade.

***

Ordem é repressão.

Progresso é para poucos.

Amor ficou de fora.

Átila da Rold Roesler é juiz do trabalho na 4ª Região e membro da Associação Juízes para a Democracia (AJD). Pós graduado em Direito e Processo do Trabalho e em Direito Processual Civil. Foi juiz do trabalho na 23ª Região, procurador federal e delegado de polícia civil. Publicou os livros: Execução Civil – Aspectos Destacados (Curitiba: Juruá, 2007) e Crise Econômica, Flexibilização e O Valor Social Do Trabalho (São Paulo: LTr, 2015). Professor na pós-graduação na UNIVATES em Lajeado/RS e na FEMARGS – Fundação Escola da Magistratura do Trabalho do Rio Grande do Sul.
Quarta-feira, 18 de maio de 2016
Anuncie

Apoiadores
Seja um apoiador

Aproximadamente 1.5 milhões de visualizações mensais e mais de 175 mil curtidas no Facebook.

CONTATO

Justificando Conteúdo Cultural LTDA-EPP

[email protected]

Send this to a friend