Fux arquiva processo contra Pedro Paulo por suposta agressão a ex-mulher
Quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Fux arquiva processo contra Pedro Paulo por suposta agressão a ex-mulher

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, arquivou o inquérito que investigava o deputado federal e candidato a prefeitura do Rio de Janeiro pelo PMDB, Pedro Paulo, por suposta agressão física à sua ex-esposa, Alexandra Marcondes

O pedido de arquivamento foi feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, alegando que as lesões verificadas em exame de corpo de delito da ex-mulher do deputado seriam decorrentes de atitude defensiva do investigado. "Foi peremptória ao negar ter sido agredida por seu então marido", relata o pedido de arquivamento. "Na ocasião, atribuiu as próprias lesões a movimentos de defesa de Pedro Paulo, para repelir investidas da depoente contra ele", completa. 

Quando foi ouvida, Alexandra confirmou que não havia sido agredida e que as lesões seriam de uma tentativa de defesa de Pedro Paulo. A babá, que foi testemunha do caso, disse não ter presenciado o acontecimento, mas que deu seu depoimento contra Pedro Paulo a mando de Alexandra. 

Como a Procuradoria-Geral da República é titular da investigação, o Supremo Tribunal Federal costuma seguir o pedido de arquivamento. “Por se tratar de pedido de arquivamento feito pelo Procurador-Geral da República, a única decisão possível em nosso ordenamento jurídico é o seu acolhimento, em homenagem ao princípio acusatório que rege nosso processo penal", afirmou fux. 

Relembre o caso

O caso aconteceu em 2010, quando Pedro Paulo e Alexandra ainda eram casados. A esposa descobriu que o deputado estava tendo um relacionamento extraconjugal com outra mulher e e os dois se desentenderam. A agressão foi denunciada pela revista "Veja", em novembro do ano passado. 

No mesmo mês, Pedro Paulo concedeu uma entrevista coletiva assumindo que exagerou. "Quem não tem uma briga, um descontrole, quem não exagera numa discussão? A gente às vezes exagera, fala coisas que não deve. Quem não tem essas discussões e perde o controle? A gente perde o controle e tem discussões", disse.

Em 2008, outro caso de agressão do deputado foi denunciado pela revista "Época". Em depoimento sobre a primeira ocorrência Alexandra disse que ela e Pedro Paulo discutiram dentro do carro e que o marido a xingou e deu socos no corpo e no rosto dela, na presença da filha do casal, que tinha 2 anos.

Na briga de 2010, um laudo do exame de corpo de delito obtido pela revista "Veja" aponta que Alexandra foi agarrada pelo pescoço, jogada contra a parede, no chão e machucada com chutes. Foi quando o Ministério Público encaminhou a investigação para o STF, única instância competente para julgar um deputado. 

 

Quarta-feira, 17 de agosto de 2016
Anuncie

Apoiadores
Seja um apoiador

Aproximadamente 1.5 milhões de visualizações mensais e mais de 175 mil curtidas no Facebook.

CONTATO

Justificando Conteúdo Cultural LTDA-EPP

[email protected]

Send this to a friend