Após afastamento de Dilma, Renan quer votar reajuste dos ministros do STF ainda nesta quarta
Quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Após afastamento de Dilma, Renan quer votar reajuste dos ministros do STF ainda nesta quarta

O presidente do Senado Federal, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) decidiu marcar a sessão que votará o reajuste salarial dos ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) para hoje (31). A votação foi marcada para as 17h, logo após a conclusão do processo do impeachment de Dilma.

O aumento está previsto no projeto que eleva o teto dos vencimentos do Judiciário de R$ 33,7 mil para R$ 39,2 mil. 

A votação é um aceno ao presidente do STF, mininstro Ricardo Lewandowski, que conduziu o processo do impeachment da presidenta Dilma desde do dia 10 de agosto, após a chamada pronúncia do plenário do Senado. Desde então, o ministro tem feito um lobby entre os senadores para que aprovem a medida. 

Segundo o jornal Folha de São Paulo, a aprovação dessa medida virou uma das bandeiras de Lewandowski na fase final de seu mandato à frente do STF, que se encerra em setembro.

Há cerca de dois meses, Lewandowski conversou com o próprio Michel Temer sobre o assunto e pediu apoio à aprovação do projeto no Congresso. Assessores do presidente interino reclamam que ele tem pressionado o governo pela aprovação da medida, que dividiu a base aliada do peemedebista.

O PSDB e o PT são contra a medida por prejudicar o ajuste fiscal. Lembram que a medida eleva o teto do funcionalismo público e gera um efeito cascata nos gastos com pessoal do Judiciário e executivos estaduais. Já o PMDB é a favor.

Quarta-feira, 31 de agosto de 2016
Anuncie

Apoiadores
Seja um apoiador

Aproximadamente 1.5 milhões de visualizações mensais e mais de 175 mil curtidas no Facebook.

CONTATO

Justificando Conteúdo Cultural LTDA-EPP

[email protected]