Por meio de liminar, Defensoria Pública mantém em sigilo nome de adolescente acusado de ato infracional
Quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Por meio de liminar, Defensoria Pública mantém em sigilo nome de adolescente acusado de ato infracional

A Defensoria Pública de São Paulo conseguiu, por meio de uma decisão liminar da Justiça, no último dia 9, garantir a aplicação do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) ao vedar a divulgação de nome de adolescente acusado de praticar ato infracional.
A decisão decorre de uma ação civil pública movida pelo Defensor Público Giancarlo Silkunas Vay contra a empresa que edita o jornal Diário do Grande ABC, após uma reportagem publicada no site do jornal no mês de dezembro com o nome de um adolescente acusado da prática de ato infracional análogo a roubo.
O pedido baseou-se no art. 143, §º único, do ECA, que dispõe: “qualquer notícia a respeito do fato (atribuição de ato infracional) não poderá identificar a criança ou adolescente, vedando-se fotografia, referência a nome, apelido, filiação, parentesco, residência e, inclusive, iniciais do nome e sobrenome”
A Juíza Soraia Lorenzi Buso, da Vara da Infância e da Juventude de Santo André, acolheu os argumentos e determinou a imediata retirada do site, no prazo de até 24 horas, de qualquer referência ao nome do adolescente, sendo mantida a publicação da reportagem.

Quinta-feira, 15 de dezembro de 2016
Anuncie

Apoiadores
Seja um apoiador

Aproximadamente 1.5 milhões de visualizações mensais e mais de 175 mil curtidas no Facebook.

CONTATO

Justificando Conteúdo Cultural LTDA-EPP

[email protected]

Send this to a friend