“O lugar de vocês é no tronco”, diz pichação na Universidade Federal de Santa Maria
Sexta-feira, 22 de setembro de 2017

“O lugar de vocês é no tronco”, diz pichação na Universidade Federal de Santa Maria

Foto: Reprodução 

A Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), no Rio Grande do Sul, tem registrado frequentes ataques racistas e manifestações nazistas em seu campus. No último dia 15, o diretório acadêmico de Direito da universidade foi pichado com frases como “o lugar de vocês é no tronco”, “fora negrada”, “negros fora”, além de desenhos da suástica e da águia da supremacia ariana, ambos símbolos nazistas. O caso foi denunciado à Polícia Federal. 

As frases foram direcionadas para dois alunos negros, integrantes do Diretório Livre do Direito, Fernanda Rodrigues e Elisandro Ferreira. Em uma das pichações, os agressores se dirigem diretamente aos estudantes: “Elisandro e Fernanda, tronco é o lugar de vocês”.

Em seu perfil no Facebook, Fernanda denunciou o caso e desabafou: “chamam a atenção para o tipo de pessoa que está se formando dentro dos muros de uma universidade pública – um local que deveria ser acolhedor, plural e de apoio às diferenças”

Em resposta às ofensas, a estudante lamentou ser mais uma para a estatística de injúria racial no Brasil e completou:

Nós não vamos voltar pra senzala, o tronco nós já colocamos no fogo e não temos a menor pretensão de nos tornarmos menos do que os melhores juristas que podemos ser. Vocês vão ter que nos engolir. Sentimos muito (ou melhor, não).

 

 

Pichação nazista

Essa não foi a primeira vez que casos como esses acontecem dentro do campus da UFSM, em agosto o Diretório de Direito foi atacado com ofensas nazistas. Um desenho de uma suástica com a águia em cima, que representa a força, autoridade e supremacia da raça ariana, foi pichado na parede. 

O episódio também foi levado à Polícia Federal que encaminhou para o Ministério Público Federal, as investigações ainda estão em andamento. 

Foto: Reprodução

A Sociedade Beneficente Israelita de Santa Maria emitiu uma nota em que denuncia e lamenta o ocorrido. “Em pleno 2017, não se admitem desenhos desta natureza, nem mesmo como ‘brincadeira’. Não se brinca com a memória de 6 milhões de judeus exterminados em campos de concentração” escreveu Bruno Seligman de Menezes, presidente da SBISM.

“O que mais assusta é que o ‘ovo da serpente’ esteja sendo chocado no berço da intelectualidade santamariense” completou Seligman. 

 

Sexta-feira, 22 de setembro de 2017
Anuncie

Apoiadores
Seja um apoiador

Aproximadamente 1.5 milhões de visualizações mensais e mais de 175 mil curtidas no Facebook.

CONTATO

Justificando Conteúdo Cultural LTDA-EPP

[email protected]