Mesmo com denúncias, governo defende Cristiane Brasil no ministério
Segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Mesmo com denúncias, governo defende Cristiane Brasil no ministério

Foto: Lúcio Bernardo Junior/Câmara dos Deputados. Informações por Rede Brasil Atual.

Com uma sucessão de denúncias envolvendo a deputado federal Cristiane Brasil (PTB-RJ), o governo segue defendendo a nomeação para o Ministério do Trabalho, que completou um mês.

O Planalto chegou a marcar a cerimônia de posse duas vezes, e teve de suspendê-las, por decisão judicial. A pasta está sem titular desde 27 de dezembro, quando Ronaldo Nogueira (PTB-RS) pediu exoneração e retomou seu mandato na Câmara. 

Leia mais: Juristas criticam decisão que suspendeu Cristiane Brasil da posse de Ministra do Trabalho

PGR defende competência do Supremo para julgar posse de Cristiane Brasil

Além do impedimento legal – o Judiciário entendeu que o fato de a ministra nomeada ter sido condenada em ação trabalhista fere o princípio da moralidade administrativa –, Cristiane enfrenta novas denúncias, publicadas no fim de semana, de associação para o tráfico (jornal O Estado de S. Paulo), e assédio sobre funcionários quando era secretária municipal no Rio (programa Fantástico, da TV Globo). O vídeo em que ela aparece em um barco, com supostos empresários de torso nu, piorou a situação política da deputada.

Em rede social, o presidente do PTB, Roberto Jefferson, pai de Cristiane, chamou a matéria do Estadão de “panfleto” e chamou o Globo de “mesquinho”. E reagiu: “Por que destruir a vida política promissora de uma pessoa dedicada em tudo que faz e que está preparada para exercer o cargo de ministra?”.

Nesta segunda-feira (5), o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, disse que a indicação será mantida. “O governo continua insistindo no reconhecimento da privativa prerrogativa do presidente Temer prevista na Constituição de nomear os seus ministros“, declarou. “Nós não vamos solicitar que o PTB faça qualquer outra indicação”, acrescentou.

Também hoje, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) declarou que irá ajuizar ação popular para que ela não assuma o cargo.  Por enquanto, a posse está suspensa por decisão liminar da presidenta do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia.


Assista ao bate papo de Igor Leone com Djamila Ribeiro no Pandora Lab sobre “O que é Lugar de Fala”:

Segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018
Anuncie

Apoiadores
Seja um apoiador

Aproximadamente 1.5 milhões de visualizações mensais e mais de 175 mil curtidas no Facebook.

CONTATO

Justificando Conteúdo Cultural LTDA-EPP

[email protected]

Send this to a friend