STF julga Gleisi Hoffmann inocente das acusações de corrupção, lavagem de dinheiro e caixa dois
Quinta-feira, 21 de junho de 2018

STF julga Gleisi Hoffmann inocente das acusações de corrupção, lavagem de dinheiro e caixa dois

Imagem: PT

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta terça-feira (19), por unanimidade, julgar a senadora e presidente do PT Gleisi Hoffmann inocente quanto as acusações de corrupção e lavagem de dinheiro em processo ligado à Operação Lava Jato.

Hoffmann, seu marido (o ex-ministro Paulo Bernardo) e o empresário Ernesto Rodrigues foram acusados de terem recebido R$ 1 milhão em propina do esquema de corrupção na Petrobras. O valor teria sido liberado para a campanha de Gleisi ao Senado em 2010 pelo então diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa em troca de apoio político para sua manutenção no cargo.

Os ministros da segunda turma do STF entenderam não haver provas contra os réus e os três foram absolvidos das acusações.

Gleisi ainda responde a 1 inquérito na Lava Jato e duas outras denúncias.

 

Pronunciamento

Hoffmann, se pronunciou publicamente sobre o julgamento nesta quarta-feira (20), através de um artigo. Nele, a senadora afirma que “nada vai apagar o sofrimento causado a mim, a minha família, meus amigos […] nada vai reparar o dano causado a minha imagem pessoal e política”, e critica a cobertura da mídia tradicional sobre o seu caso:

Ao longo desses quase quatro anos, meu nome deixou de ser Gleisi Helena Hoffmann. Passei a ser chamada de Gleisi Hoffmann, investigada na Lava Jato, Gleisi acusada, Gleisi indiciada, Gleisi denunciada, Gleisi ré. Alguém escreverá agora Gleisi inocente?

 

Como votaram os ministros

Edson Fachin e Celso de Mello votaram pela inocência quanto aos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, mas entenderam que a senadora poria ser enquadrada em outro crime, de Caixa 2; Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski votaram pela absolvição por todas as acusações

Em seus votos, o relator Edson Fachin e o revisor Celso de Mello sustentaram a ausência de comprovação de que a senadora teria oferecido alguma contrapartida para receber os recursos. Por isso, decidiram absolver Hoffmann das acusações de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Porém, não ficaram convencidos da licitude do financiamento da campanha da senadora em 2010 e votaram para condenar a petista por falsidade ideológica eleitoral (Caixa 2).

O entendimento, no entanto, não foi acompanhado pelo restante dos ministros que, além de absolverem a senadora por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, entenderam que não era possível imputar Hoffmann o crime de caixa 2 por falta de provas. Votaram desta maneira os ministros Gilmar Mendes, Ricardo Lewadowski e Dias Toffoli.

A petista foi então absolvida de todas as acusações.

Quinta-feira, 21 de junho de 2018
Anuncie

Apoiadores
Seja um apoiador

Aproximadamente 1.5 milhões de visualizações mensais e mais de 175 mil curtidas no Facebook.

CONTATO

Justificando Conteúdo Cultural LTDA-EPP

[email protected]

Send this to a friend