ONU comemora abertura da fronteira para venezuelanos
Quarta-feira, 8 de agosto de 2018

ONU comemora abertura da fronteira para venezuelanos

Imagem: EBC / Fonte: Agência Brasil

A Organização das Nações Unidas (ONU), por meio do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur),  comemorou a abertura da fronteira brasileira para a entrada de imigrantes venezuelanos. 

Um juiz federal do estado de Roraima havia ordenado, no último domingo, dia 5 de agosto, a suspensão temporária da entrada de venezuelanos por terra até que houvesse um equilíbrio entre o número de imigrantes que chegam do país vizinho com os que saem para outros estados brasileiros. A decisão, no entanto, foi cancelada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no dia seguinte. 

 

+[ASSINANDO O +MAIS JUSTIFICANDO VOCÊ TEM ACESSO À PANDORA E APOIA O JORNALISMO CRÍTICO E PROGRESSISTA]+

 

O Acnur aplaudiu a decisão. “O governo brasileiro, até agora, assegurou o acesso ao territória a refugiados venezuelanos e imigrantes que necessitam de proteção, e lhes proporcionou acesso aos serviços básicos”, afirmou seu porta-voz, William Spindler. 

Em Genebra, Spindler afirmou que os venezuelanos chegam ao Brasil em busca de segurança. Mais de 200 venezuelanos não puderam finalizar o ingresso em território brasileiro, segundo o porta-voz, em decorrência do impasse envolvendo a fronteira na região de Roraima.

De acordo com Acnur, o Brasil reúne mais de 32,7 mil solicitantes de pedidos de refúgio, enquanto 25 mil já obtiveram autorização para permanência legal no país. Ainda segundo a instituição, cerca de 117 mil venezuelanos pediram refúgio ao governo brasileiro desde 2017.

 

Leia também:

Venezuela: um pouquinho de coerência?

 

Indígenas

O porta-voz ressaltou que boa parte dos venezuelanos é formada por indígenas, que estão em situação vulnerável devido à falta de alimentos e condições de sobrevivência.

Spindler citou o exemplo do líder comunitário de Warao, Eligio Tejerina, de 33 anos, cujo filho caçula está com pneumonia. O indígena tem cinco filhos e disse que todos estavam passando fome na Venezuela.

“Decidimos vir para o Brasil porque nossos filhos estavam esfomeados”, afirmou. “Eles choravam de fome porque só tinham uma pequena porção de comida”.

 


O Justificando não cobra, cobrou, ou pretende cobrar dos seus leitores pelo acesso aos seus conteúdos, mas temos uma equipe e estrutura que precisa de recursos para se manter. Como uma forma de incentivar a produção de conteúdo crítico progressista e agradar o nosso público, nós criamos a Pandora, com cursos mensais por um preço super acessível (R$ 19,90/mês).

Assinando o plano +MaisJustificando, você tem acesso integral aos cursos Pandora e ainda incentiva a nossa redação a continuar fazendo a diferença na cobertura jornalística nacional.

[EU QUERO APOIAR +MaisJustificando]

 

 

Quarta-feira, 8 de agosto de 2018
Anuncie

Apoiadores
Seja um apoiador

Aproximadamente 1.5 milhões de visualizações mensais e mais de 175 mil curtidas no Facebook.

CONTATO

Justificando Conteúdo Cultural LTDA-EPP

[email protected]

Send this to a friend