Tribunais devem regularizar audiências de custódia até final de Setembro, determina CNJ
Segunda-feira, 20 de agosto de 2018

Tribunais devem regularizar audiências de custódia até final de Setembro, determina CNJ

Imagem: EBC

Os Tribunais de Justiça (TJ-SP) dos 27 estados brasileiros, assim como os cinco Tribunais Regionais Federais (TRFs) têm até o final de setembro para informar que estão cumprindo a norma do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que regulamenta a realização das audiências de custódia.

“Concedo aos Tribunais de Justiça e aos Tribunais Regionais Federais, para fins do cumprimento integral da Resolução CNJ 213/2015, prazo de até 60 (sessenta) dias, com o consequente encaminhamento das informações referentes, a fim de verificação e eventual autuação dos procedimentos cabíveis”, afirmou o conselheiro do CNJ, Márcio Schiefler, em decisão de 31 de julho. 

 

+[ASSINANDO O +MAIS JUSTIFICANDO VOCÊ TEM ACESSO À PANDORA E APOIA O JORNALISMO CRÍTICO E PROGRESSISTA]+

 

A Resolução CNJ 213/2015 indica um limite de 24 horas para levar toda pessoa detida à presença de uma autoridade judicial, mas tribunais alegam restrições de recursos financeiros e materiais que inviabilizam sua realização.

As respostas dos tribunais foram consolidadas pelo Departamento de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário e do Sistema Socioeducativo (DMF/CNJ). “Da análise realizada pelo DMF, verifica-se que os Tribunais de Justiças e os Tribunais Regionais Federais, apesar dos esforços envidados, não têm dado cumprimento integral à Resolução CNJ 213/2015, notadamente no que tange à abrangência e expansão da realização da audiência de custódia, ao prazo da realização do ato, bem como à alimentação do sistema SISTAC”, afirmou na sua decisão, assinada no dia 31 de julho. 

No Paraná, o Tribunal de Justiça informou que é impossível realizar as audiências nos finais de semana, por não conseguir assegurar escolta, segurança e transporte dos presos. Em Sergipe, o Tribunal de Justiça sugeriu “flexibilizar” a regra, já que, devido à “crise financeira”, é ficou comprometida a apresentação das pessoas detidas em até 24 horas após a prisão. 

 

Que audiência de custódia queremos?

 

Em Alagoas, por exemplo, as audiências de custódia acontecem todos os dias, mas apenas na capital Maceió. Na Bahia, Ceará e Minas Gerais, estados com grande extensão territorial, não há audiências de custódia em grande parte das cidades do interior. No Piauí, apenas uma comarca fora da capital realiza as audiências. 

O estado do Rio de Janeiro também declarou ter dificuldade para cumprir a resolução. No Rio Grande do Sul, o TJ afirmou que segue um planejamento de expansão gradativa das audiências para as comarcas, “conforme disponibilidade orçamentária”. Em Brasília, o TRF-1 alegou dificuldades materiais para atender às exigências: “ausência de plantão presencial no final de semana; dificuldades no transporte dos presos pelos órgãos responsáveis; instabilidade da internet; e audiências designadas para o dia seguinte, em razão da distância da sede das Varas”.

 

files/conteudo/imagem/2018/08/0d389497ca3217d949fa41f4f05583d7.png

 


O Justificando não cobra, cobrou, ou pretende cobrar dos seus leitores pelo acesso aos seus conteúdos, mas temos uma equipe e estrutura que precisa de recursos para se manter. Como uma forma de incentivar a produção de conteúdo crítico progressista e agradar o nosso público, nós criamos a Pandora, com cursos mensais por um preço super acessível (R$ 19,90/mês).

Assinando o plano +MaisJustificando, você tem acesso integral aos cursos Pandora e ainda incentiva a nossa redação a continuar fazendo a diferença na cobertura jornalística nacional.

[EU QUERO APOIAR +MaisJustificando]

 

 

Segunda-feira, 20 de agosto de 2018
Anuncie

Apoiadores
Seja um apoiador

Aproximadamente 1.5 milhões de visualizações mensais e mais de 175 mil curtidas no Facebook.

CONTATO

Justificando Conteúdo Cultural LTDA-EPP

[email protected]

Send this to a friend