Você sabe como é a qualidade de vida de um advogado espanhol?
Sexta-feira, 28 de junho de 2019

Você sabe como é a qualidade de vida de um advogado espanhol?

 

Neste artigo, o site El Derecho trata sobre a saúde e bem estar dos advogados e advogadas espanhois e evidencia a necessidade de melhora da conciliação da vida laboral e pessoal de seus profissionais.

 

 

Por El Derecho

tradução: Matheus Maciel

 

 

Este é mais um conteúdo que o Justificando traduziu de outras línguas para o português.

 

Após a análise dos resultados do 1º Estudo sobre Saúde e Bem-Estar dos Advogados Espanhóis, conduzido por Lefebvre em colaboração com o Instituto de Saúde Mental dos Advogados (ISMA), torna evidente que a advocacia necessita urgentemente melhorar a conciliação da vida laboral  e pessoal de seus profissionais.

 

A pesquisa com 672 advogados em todo o território nacional [Espanhol – Nota do Tradutor] revela que a maioria das pessoas entrevistadas (82%) estariam dispostas a ceder parte de seu salário, a fim de melhor conciliar a vida pessoal e familiar com o trabalho. Esses resultados mostram que o modelo produtivo apresenta um desequilíbrio provocado por diferentes causas, com a carga horária apresentando maior relevância.

 

Indo para os detalhes do estudo, 73,4% das pessoas pesquisadas têm um dia de trabalho que resulta em mais de 40 horas por semana. Em muitos casos, se trabalha até mais de 50 horas. No final, descobrimos que há 12% dos entrevistados que acumulam dias que excedem 60 horas por semana.

 

Como a jornada de trabalho é distribuída entre homens e mulheres?

 

Quando feita uma análise de gênero, pode-se observar que a jornada de trabalho mais repetida entre as mulheres (57%) é a que trabalha entre 40 e 60 horas semanais. No caso dos colegas do sexo masculino, o percentual aumenta para 63% entre aqueles que são obrigados a trabalhar dentro do mesmo intervalo.

 

Curiosamente, há a mesma porcentagem de 12% de homens e mulheres que excedem 60 horas de trabalho por semana.

 

O tipo de empresa influencia o tempo de conciliação

De acordo com o estudo, a premissa de que ter sua própria empresa é sinônimo de trabalhar mais horas do que quando se trabalha para um terceiro, pelo menos entre profissionais da área jurídica, nem sempre é real.

 

Dessa forma, a proporção de pessoas com dias superiores a 40 horas semanais é um pouco maior entre aqueles que trabalham para outros (76,2%), do que entre aqueles que trabalham por conta própria (72,6%). No entanto, entre as pessoas que trabalham para uma grande empresa, 81,5% trabalham mais de 40 horas, em comparação com 72,9% das pessoas que trabalham em uma pequena empresa.

 

A respeito do relacionamento entre os líderes dos escritórios de advocacia e seus funcionários, não podemos deixar de lado como, Sara Molina Pérez-Tomé nos lembra, do Comitê de Previdência do ISMA-MHILP, que “Se uma empresa deseja que seus funcionários sempre dêem o melhor e o máximo de si e atinjam os objetivos estabelecidos, só conseguirá se houver uma estratégia focada no desenvolvimento do bem-estar para criar um ambiente em que cada pessoa seja considerada parte da arquitetura da empresa, e para que se sintam confortáveis e possam assumir os valores da empresa como se fossem deles.“

 

Dia dividido com duas horas de almoço

O modelo produtivo do setor jurídico permite ter entre uma e duas horas para se alimentar. A grande maioria dos entrevistados confirmou que tinha um dia dividido e que eles tinham entre uma e duas horas para almoçar. Apenas 29% tinham menos de uma hora.

 

Outro detalhe que podemos extrair do estudo é que a maioria das refeições que os advogados fazem são refeições informais, e não necessariamente relacionadas ao momento na jornada de trabalho. No entanto, em 31% dos casos, fazem refeições no trabalho. É verdade que esses compromissos não acontecem regularmente, mas sim de tempos em tempos.

 

Os advogados se alimentam bem? 

A pesquisa mostra que sim. 85,5% das pessoas pesquisadas tentam seguir uma dieta balanceada, e fazem isso com bastante freqüência. Apenas 14% deles não seguem uma dieta e comem sem qualquer preocupação. Na maioria dos casos (63%), o trabalho é culpado pela dificuldade em seguir uma dieta melhor.

 

Flexibilidade na área de advocacia

A grande maioria dos participantes do estudo (90%) respondeu que eles têm alguma flexibilidade para entrar e sair ou até mesmo que eles não têm um cronograma fechado e, portanto, agem livremente. Enquanto apenas 10% das pessoas pesquisadas têm um cronograma fixo.

 

É feito tele trabalho  no setor jurídico ?

A prática está cada vez mais implementada em nossa profissão, com 64% das pessoas pesquisadas realizando funções desta natureza. O problema surge quando na maioria dos casos, o teletrabalho é usado como complemento das horas dedicadas a cada dia e não como um meio de substituí-las. Assim, 37% dos advogados estão satisfeitos trabalhando no escritório e não em casa.

 

O que fazem durante o tempo livre?

Embora pareça óbvio, a profissão de advogado é muito sedentária. Passam a maior parte do tempo na frente de um computador preparando defesas ou demandas. No entanto, 46% fazem exercícios físicos ou esportivos a cada semana. Entre as atividades pessoais favoritas estão ir à academia, executar tarefas, sair com amigos, etc.

 

Nesse caso, analisando as respostas dadas no estudo, não há grandes diferenças entre os sexos: 40,1% das mulheres pesquisaram exercício ou esporte a cada semana, em comparação com 44,7% dos homens pesquisados.

 

 Sairia antes do trabalho para aproveitar mais o tempo livre?

Parece uma pergunta óbvia, mas à luz dos resultados, você pode extrair alguns detalhes curiosos. Por exemplo, uma maioria consideravel das mulheres pesquisadas é a favor de poder sair antes do trabalho (48,9%), enquanto essa é uma preferência menor entre os homens (34,5%).

 

De qualquer forma, há um desejo comum: é essencial que todos os profissionais tenham uma verdadeira desconexão entre o trabalho e nossa vida pessoal. Porque nas palavras de Paula Fernández Ochoa, sócia de + MoreThanLaw e fundadora da VivircorRiendo: “A advocacia envolve um alto nível de demanda, dedicação e sacrifício, com longas horas de trabalho que estão causando cada vez mais estresse, vícios ou ansiedade muitos profissionais e, consequentemente, levando a perdas devido a depressão, absenteísmo e declínio de produtividade.

 

Matheus Maciel, tradutor deste texto, é advogado, especialista em direito processual civil e assessor especial da Prefeitura Municipal de Lauro de Freitas.

Sexta-feira, 28 de junho de 2019
Anuncie

Apoiadores
Seja um apoiador

Aproximadamente 1.5 milhões de visualizações mensais e mais de 175 mil curtidas no Facebook.

CONTATO

Justificando Conteúdo Cultural LTDA-EPP

[email protected]

Send this to a friend