Apoiando boas iniciativas antirracistas nesta “onda dura”
Sexta-feira, 6 de setembro de 2019

Apoiando boas iniciativas antirracistas nesta “onda dura”

Imagem: divulgação (Pretaria Black Books)

 

Coluna Féministas

Por Morena Borba

 

O ano em que acompanhamos as últimas máscaras do politicamente correto caírem foi o ano em que descobrimos quem caminha lado a lado conosco. A essa altura, não importa mais quem votou em quem, nem porquê. Como povo, elegemos nosso atual presidente e, dizendo ou não seu nome, é ele quem está lá abrindo a caixa de Pandora de nossos pesadelos. Tem pra todo mundo, idosos, autistas, estudantes, trans, gestantes, agricultores, professores, empresários, gays, povos originários, cientistas, a lista segue sem fim até bater na nossa porta.

 

A não ser que já tenha batido, a não ser que a tal caixa nunca tenha se fechado. Para alguns, tudo isso que está acontecendo é um fenômeno inexplicável, para outros sempre foi assim. Entendemos que o brasileiro não é um povo cordial e que não se respeita como unidade, não sobrou nem pros nossos alimentos ou para o ar que respiramos. Nessa onda, vale apenas enriquecer pra termos certeza de que fomos escolhidos por Deus e mais, dar uma forcinha para os Anjos do Apocalipse levarem logo o setor ímpio da população, o que também significa sujo de acordo com certas pessoas, e inclui pessoas em situação de rua, doentes sem médicos, famílias sem água…

 

Leia também:

Tereza de Benguela: por nós, por todas nós, pelo bem viver!Tereza de Benguela: por nós, por todas nós, pelo bem viver!

É nesse cenário catastrófico que vemos a cortina de fumaça rarear e alternativas à nossa dignidade surgirem. Sim, está tendo. Mas sem ilusões, não podemos nos banhar no mesmo rio duas vezes, já dizia Heráclito. Um exemplo próximo é termos votado com mais consciência em nossas deputadas após o impeachment, a ponto de alcançarmos números inéditos de mulheres no senado, deputadas negras, as primeiras deputadas trans e a primeira deputada indígena (e as deputadas brancas também, claro). Aprendemos a lição.

 

Parece que a onda dura já veio e só Deus sabe quando irá embora, se é que vai, afinal sempre pode piorar. Então, no meio desse tsunami, o que importa agora é olhar ao redor e ver quem ficou. Quem, mesmo distante, permanece ao nosso lado? Quem precisa de nós? No atual paradigma de humanidade, mais do que nunca vale conferir a benfeitoria do primeiro clube literário antiracista brasileiro por assinatura, o Pretaria Black Book. Elas não precisam de nós, já atingiram sua meta, somos nós que precisamos delas – e não, infelizmente não as conheço, nem ganho nada com isso, só dignidade mesmo:

 

https://benfeitoria.com/ClubePretariaBlackBooks

 

 

Morena Borba é editora, revisora e crítica literária com foco em saúde intelectual

 


O Justificando não cobra, cobrou, ou pretende cobrar dos seus leitores pelo acesso aos seus conteúdos, mas temos uma equipe e estrutura que precisa de recursos para se manter. Como uma forma de incentivar a produção de conteúdo crítico progressista e agradar o nosso público, nós criamos a Pandora, com cursos mensais por um preço super acessível (R$ 19,90/mês).

Assinando o plano +MaisJustificando, você tem acesso integral aos cursos Pandora e ainda incentiva a nossa redação a continuar fazendo a diferença na cobertura jornalística nacional.

[EU QUERO APOIAR +MaisJustificando]

 

Sexta-feira, 6 de setembro de 2019
Anuncie

Apoiadores
Seja um apoiador

Aproximadamente 1.5 milhões de visualizações mensais e mais de 175 mil curtidas no Facebook.

CONTATO

Justificando Conteúdo Cultural LTDA-EPP

[email protected]

Send this to a friend