O caso de J.
Sexta-feira, 7 de fevereiro de 2020

O caso de J.

Imagem: Agência Brasil/Divulgação

 

Por Fellipe Mion

 

“Eu disse para ele parar, mas ele continuou” – afirmou J. ao me questionar se na minha visão ela sofrera estupro. A dúvida de J. residia no fato do sexo ter sido iniciado de forma consensual. J. sabia a resposta, eu sabia a resposta. 

 

 

Diante da ausência total de provas físicas, J. tentou no dia seguinte marcar novo encontro com seu violador para, segundo ela, gravar uma possível confissão. A resposta ao convite fora negada – “foi um lance de uma noite só, mas adorei”. J. nunca receberia a confissão, e agora, ainda que o denunciasse, cometera o equívoco de chamá-lo para sair uma segunda vez. Quem iria acreditar nela? 

 

O prego final no caso de J., que se tornaria mais uma vítima invisível às estatísticas foi a aparência do autor do crime em comparação com a da vítima. Ele facilmente poderia ser um modelo de passarelas e revistas de moda, J. era uma mulher “fora dos padrões” de beleza impostos pelas mesmas passarelas e capas de revistas nas quais o estuprador poderia ser protagonista. 

 

Para mim, muito embora, a parte mais desconcertante da violência que ocorrera com J. não fora a narrativa, nem mesmo os detalhes do ato vil, mas sim, o fato de que J. é feminista e ativista, e, ainda assim, por motivos que consigo compreender completamente, calou-se. E eu, por outro lado, me lembro de algo que desejaria não lembrar: nada daquilo me surpreendeu.

 

 

Fellipe Mion é advogado graduado pela FAAP, entusiasta do ativismo de forma ampla, e encontrou por meio da leitura e escrita uma maneira de compreender as suas vivências.  O ensaísta tem 31 anos, faz parte da comunidade LGBTQ+, e mora em São Paulo, onde no momento, dedica-se exclusivamente a escrever. 


O Justificando não cobra, cobrou, ou pretende cobrar dos seus leitores pelo acesso aos seus conteúdos, mas temos uma equipe e estrutura que precisa de recursos para se manter. Como uma forma de incentivar a produção de conteúdo crítico progressista e agradar o nosso público, nós criamos a Pandora, com cursos mensais por um preço super acessível (R$ 19,90/mês).

Assinando o plano +MaisJustificando, você tem acesso integral aos cursos Pandora e ainda incentiva a nossa redação a continuar fazendo a diferença na cobertura jornalística nacional.

[EU QUERO APOIAR +MaisJustificando]

Sexta-feira, 7 de fevereiro de 2020
Anuncie

Apoiadores
Seja um apoiador

Aproximadamente 1.5 milhões de visualizações mensais e mais de 175 mil curtidas no Facebook.

CONTATO

Justificando Conteúdo Cultural LTDA-EPP

[email protected]

Send this to a friend